15 anos de namoro


Este ano para além de comemorarmos um ano de casados (em Agosto), comemoramos também 15 anos de namoro. Não consigo comemorar apenas a data do casamento, porque o dia 13 de Junho é um dia mesmo muito importante para nós. Foi o dia em que o Santo António, conhecido por ser o santo casamenteiro, juntou dois jovens de 15 anos. Nunca iria pensar, há 15 anos atrás, que aquele meu primeiro e único namorado, passaria a ser meu marido. Nem dei pelo tempo passar, de tão bom que têm sido estes anos todos.
Portanto, vamos continuar a comemorar para sempre este 13 de Junho, e irei ter sempre um carinho especial por esta data e por este santo (apesar de não ligar a nenhum outro santo, nem a coisas religiosas).
Venham mais 15, mais 30, mais infinitos!
E para comemorar, deixo aqui uma quadra de Santo António, inventada agorinha mesmo, hehe.

Oh meu rico Santo António,
Lembras-te daqueles encalhados?
Quinze anos se passaram,
E hoje são casados

2 anos de blog


Não parece, mas o blog já tem dois anos.
Faz hoje dois anos que postei pela primeira vez. Faz hoje dois anos que andávamos em preparativos para o casamento (assim meio perdidos em relação a algumas coisas que tínhamos que tratar).
Não é fácil manter um blog quando, achamos que estamos a escrever só para nós. Na verdade, quando o criei era para vos ajudar com algumas coisas pelo qual eu já tinha passado. Organizar um casamento não é nenhum bicho de sete cabeças, mas também não é uma tarefa propriamente fácil. E eu sou muito apologista que, se houver tempo e dedicação, o melhor é sermos nós a tratar de tudo. É muito bom quando passamos daquela fase de pesquisa para a fase em que as coisas começam a ganhar forma. Quando a lista de convidados passa de um excel para convites impressos com os nomes das pessoas. Cada momento é especial.

Obrigada a quem tem acompanhado. Espero que de alguma forma este blog vos tenha ajudado na preparação do vosso casamento. Ou que simplesmente vos tenha entretido com as nossas histórias

Fornecedor: Fato do Noivo

Não só de noiva vive um casamento. O noivo também teve a árdua tarefa de encontrar um fato à medida. E não pensem que foi fácil. Demorou séculos a escolher o designer/estilista/marca. E fez mais provas que eu.
Entretanto, decidi fazer algumas perguntas ao maridão, para ficarmos a conhecer a sua opinião sobre este assunto:



Branco e Menta: Porquê tanto tempo na escolha da marca do fato?
Maridão: Porque primeiro que tudo não sabia que fato escolher. Não tinha nenhuma referência. Tive que experimentar várias gamas e várias marcas para me sentir confortável com algum deles.

Branco e Menta: Porquê Nuno Gama? Como chegaste a esse estilista?
Maridão: Anteriormente andei pelo El Corte Inglés, pela Hugo Boss, pelo Freeport (Armani, Carolina Herrera), no Mundo dos Fatos, e por aí fora. Mas nenhum dos fatos me preenchia as medidas, ou porque não eram cintados, ou porque eram simples demais, ou porque não eram personalizados (sem aquele toque só teu).
Entretanto, fomos à Exponoivos e ele estava por lá com alguns modelos interessantes. Mais tarde fui à loja e decidi experimentar um dos fatos que me agradou mais.

Branco e Menta: Como era para ti um fato perfeito?
Maridão: Um fato simples, mas que tivesse um ou dois pormenores que o tornasse especial, e que fosse cintado.

Branco e Menta: Como foi o atendimento no Nuno Gama?
Maridão: Foi bom. Foram simpáticos e prestáveis. Tenho que salientar a simpatia do Eldon Gomes, que deu uma uma ajudinha a escolher os acessórios que mais se adequavam, o tecido do fato, etc.

Eu fui com ele a todas as provas, e gostei bastante do espaço: muito clean e moderno. Entretanto tirei algumas fotografias aqui para o blog, para poderem ver um pouco da Maison Nuno Gama. Estas fotos já são do ano passado, por isso, a colecção é bem capaz de estar diferente :P













A meu ver, foi uma óptima escolha. Apesar de não ter ficado com a primeira opção de tecido (só mais tarde é que referiram que não conseguiam arranjar igual), tentaram ao máximo resolver a situação. O fato é feito de raiz, à medida da pessoa. E na etiqueta, para além do nome do designer (Nuno Gama), também vem personalizado com o nome do cliente.

Fato: Nuno Gama
Camisa: Mr. Blue
Laço: Mr. Blue
Lenço: Nuno Gama
Cinto: Nuno Gama
Sapatos: Aldo

As escolhas musicais

No que toca a escolher músicas para as partes importantes do vosso casamento, aconselho a seguirem os vossos gostos. Não liguem às pessoas que dizem que vocês só ouvem porcaria, e que os convidados vão ficar com os ouvidos a sangrar.
Eu e o marido gostamos de Punk/HC, e foi mais ou menos por aí que nos baseámos na escolha das músicas para os momentos importantes. Como uma das bandas que o marido gosta são os The Offspring, e porque quando nos conhecemos essa banda tornou-se de alguma forma importante, decidimos entrar na sala ao som de "Days Go By".

ENTRADA NA SALA

 photo Kat amp Ze ALTA RES 0707_zpsavxrpyzg.jpg

Quando a porta da sala se abriu, e nós entrámos de mão dada a fazer corninhos com os dedos, o pessoal ficou surpreendido (pela positiva). Toda a gente adorou a nossa entrada, porque não estavam à espera de nada do género.



PRIMEIRA DANÇA

 photo Kat amp Ze ALTA RES 0839_zpsoxcqcxtc.jpg

A primeira dança foi a mais difícil de todas. Para mim era qualquer coisa, nem que fosse para me pôr aos pulos lol Mas o noivo estava mesmo muito preocupado em fazer más figuras. Treinámos uma tarde e foi o suficiente. A dança era súper básica, e aproveitámos um momento da música para pedir a todos para se juntarem. Não houve cá valsas e o caraças. Mas acho que isso já estavam todos mais ou menos à espera :P
A escolha foi: Ramones - Let's Dance



CORTE DO BOLO

 photo Kat amp Ze ALTA RES 1113_zpsmgwkwtt1.jpg

Para o corte do bolo, a Internet foi uma péssima ajuda. Experimentem procurar "músicas de corte de bolo". Cada uma mais pirosa que a outra, que vão desde a Celin Dion a Mariah Carey. Por isso, voltámos novamente aos Ramones, para ter uma música só de ambiente. Na verdade, acho que nem fez grande sentido música no corte do bolo, porque é uma parte que realmente pensei que fosse mais emocionante. Ok, teve a parte em que os convidados seguravam os sparkles e acharam aquilo bonito (e foi bonito), mas continuo a dizer que pensei ficar mais emocionada. Para mim o corte do bolo significou fim de festa, e isso não é fixe.
(Já agora, outra dica. Cortem o bolo quando quiserem. Eu tentei ao máximo esticar a hora do corte do bolo. Houve pessoas que foram embora mais cedo e não assistiram a este momento. Mas estava completamente fora de questão cortar o bolo antes das 23h/00h. Não cortem às 21h, porque se o fazem, às 21h acaba a festa).



ATIRAR DO RAMO

 photo Kat amp Ze ALTA RES 1123_zpsufiif1xc.jpg

Na parte de atirar o ramo, decidi algo mais POP e divertido. Uma das músicas que eu dizia que tinha que fazer parte do casamento, era a "It's My Party" da Jessie J. Não por ser a Jessie J, ou por adorar a música, mas porque desde o início dos preparativos que tomei uma atitude de "esta festa é minha, e eu faço o que quiser". Claro que fiz ajustes para agradar uma pessoa ou outra. Mas no geral, não deixei que opinassem na forma como estávamos a organizar o casamento.
Ah!  E não atirei o meu ramo. O original tenho-o eu aqui em casa. Mandei fazer um igual ao meu mas mais pequeno, que serviu para a menina das alianças entrar na igreja, e para depois poder atirar às solteironas :D


Fotografias do nosso casamento, por Rising Photo

Passeio por Santarém

Porque levámos com uma dose muito grande de avião na nossa lua-de-mel, combinámos que este ano, nas nossas férias, não iríamos ao estrangeiro. Sendo assim, planeámos fazer uma roadtrip por Portugal. Como temos uma sorte DAQUELAS, estas duas semanas de férias foram recheadas de chuva. Tivemos então que a adiar para as próximas férias.
Ainda assim, não quisemos ficar muito tempo por casa. Decidimos ir a Santarém, ver alguns dos pontos que estavam incluídos no nosso roteiro da tal roadtrip.
O que é ridículo, é que temos paisagens tão bonitas em Portugal, das quais nunca lhes tinha posto a vista em cima. E não são só estas. Eu conheço muito pouco de Portugal. Vou querer mudar isso e conhecer mais do meu país.

Começámos o dia com uma ida ao ginásio (que nestas férias não têm sido muito frequentes), e de seguida fomos direitinhos a Santarém, sempre acompanhados da chuva. Passámos pelo centro para ver a fachada da Igreja, e com sorte a chuva deu tréguas e conseguimos ir às Portas do Sol, que está inserido nas muralhas que restam do antigo Castelo de Santarém. A vista sobre o Tejo é muito bonita, e o jardim pareceu-me bastante acolhedor. No verão podem aproveitar para descontrair na esplanada. E caso tenham crianças, existe um pequeno parque infantil para os entreter.

Depois do almoço (não me perguntem o nome do restaurante, porque não me lembro. Mas também não achei nada de especial para vos poder aconselhar), seguimos em direcção a Vila Nova da Barquinha, para vermos o Castelo de Almourol.
Quando lá chegámos estava um autocarro de turistas a sair. E o senhor do barco nem nos perguntou se iríamos querer visitar o castelo ou não. Simplesmente abandonou o cais e ficámos apenas a tirar fotografias do outro lado da ilha. Mas também começou a chover, e o nosso interesse em visitar o interior do castelo, não era muito.
Mas para quem estiver interessado em visitar, tem aqui todas as informações referentes a preços e horários das visitas.

Já que estávamos pelo distrito de Santarém, fomos ainda ver a zona do Zêzere, nomeadamente a barragem de Castelo de Bode. Nunca tinha visto uma barragem de perto. É uma construção gigantesca, mas com uma vista muito bonita. Vale a pena passar por lá.

 photo Editado_MG_1569_zps0naouows.jpg

 photo Editado_MG_1588_zpslwtayl8w.jpg

 photo Editado_MG_1592_zpskv6lqduu.jpg

 photo Editado_MG_1596_zpsqgdfjkkl.jpg

 photo Editado_MG_1611_zpsxltimc7j.jpg

 photo Editado_MG_1613_zpsih7jvrip.jpg

 photo Editado_MG_1634_zps7yfepg53.jpg

 photo Editado_MG_1626_zpsimlfpjx1.jpg

 photo Editado_MG_1638_zpsqiq477mn.jpg

 photo Editado_MG_1648_zps6hkn3se9.jpg

 photo Editado_MG_1664_zpsncr5weii.jpg

 photo Editado_MG_1674_zpsmtdzuexn.jpg

 photo Editado_MG_1692_zpsm9xamovf.jpg

 photo Editado_MG_1701_zpsjm1kjsri.jpg

 photo Editado_MG_1703_zpsxf1t3cfx.jpg

 photo Editado_MG_1706_zpsd0fajhrv.jpg

 photo Editado_MG_1713_zps7pf5yysq.jpg

 photo Editado_MG_1720_zps5jrmn46r.jpg

 photo Editado_MG_1749_zpsuthicsth.jpg

 photo Editado_MG_1757_zpsxnx2ukab.jpg

Convites Casamento

Como já tenho vindo a dizer, quem fez a imagem do nosso casamento foi o marido, que é designer. Não tem qualquer lógica ter um designer em casa, e pedir a outras pessoass para fazerem uma coisa que é tão pessoal.
Sendo assim, o marido teve a árdua tarefa de fazer os convites de casamento. Quando digo árdua, é porque foi mesmo árdua. No meio de tantas ideias, muitas foram ficando para trás. E com isto, demorou cerca de um ano a conseguir fechar os convites. Eu que sou menos exigente com essas coisas, achava sempre que estava bem. Mas ele lá foi descartando as outras hipóteses, até chegar ao resultado final.
Posso dizer que tivemos feedback positivo da maioria dos nossos convidados. Ouvimos comentários como "os vossos convites são mesmo giros", "são mesmo a vossa cara", "nada se compara aos vossos convites". E claro que ficamos babados. É para ficar!
Eu sou muito suspeita, mas posso dizer que ficaram mesmo giros. Nunca recebi nenhum com tanto trabalho e pormenor sobre os noivos, como os nossos. Os bonecos estão muito parecidos connosco, e o tema está presente desde a "capa" até ao conteúdo =)